Produção de leite mostra melhoria no NE

img1
O Instituto Luiz Girão, braço social de Betânia Lácteos, auxiliou 16 produtores  na compra de 122 animais, o equivalente a R$ 976 mil financiados

O Instituto Luiz Girão, braço social da Betânia Lácteos, encerrou 2021 registrando melhorias no desenvolvimento da pecuária de leite no semiárido nordestino de forma sustentável.

O trabalho ocorreu nas frentes de financiamento para melhoria das fazendas, assistência técnica e acompanhamento profissional para garantir a longevidade do ofício de pequenos produtores locais.

Indutora

A organização atuou como intermediária em financiamentos para os produtores em algumas frentes, entre elas a aquisição de novilhas para manutenção dos rebanhos e aumento da produção. Em 2021, foram 16 produtores auxiliados na compra de 122 animais, o equivalente a R$ 976 mil financiados.

O Instituto também atuou como correspondente bancário das instituições financeiras Sicredi e Banco do Brasil, facilitando o acesso dos produtores de leite a crédito para capital de giro, com prazo maior de pagamento, conectando os produtores de leite do Nordeste às instituições financeiras de maneira mais simples, rápida e segura. A parceria com os bancos levantou R$ 2,7 milhões em recursos para as fazendas apenas em 2021.

Ação

O projeto multidisciplinar Nordeste Leiteiro beneficiou 15 fazendas com a assistência técnica especializada do Mestre Leiteiro, acompanhando mais de 1,7 mil cabeças de gado que produziram mais de 10 mil litros de leite diariamente durante o acompanhamento da iniciativa, garantindo melhor desempenho das fazendas.

Parceria 

O Instituto Luiz Girão também fechou parceria com o SEBRAE para fornecer consultoria técnica na Região do Agreste de Pernambuco, analisando as necessidades de cada um dos 17 produtores participantes da ação, acompanhando um rebanho total de 2,1 mil animais.