Apesar da crise, consumo de energia cresce 8% no CE

img1
No País, em agosto, indicador teve alta de 3,4%, em linha com o esperado para o período pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica

Mesmo diante da crise energética e dos sucessivos aumentos na tarifa, o consumo de energia no Ceará cresceu 8% em agosto. No País, dados preliminares do Boletim InfoMercado Quinzenal da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica - CCEE apontam consumo de 62.706 megawatts médios no Sistema Interligado Nacional (SIN), avanço de 3,4% se comparado com mesmo período 2020 e de 4,4% frente ao mesmo mês de 2019.

A avaliação da CCEE é de que a demanda por eletricidade segue em linha com o esperado, com alta menos acentuada do que as registradas no primeiro semestre deste ano.

Indústrias e empresas

No Ambiente de Contratação Livre (ACL), em que a grande indústria e as empresas de maior porte compram energia, o consumo foi de 22.139 MW médios, montante 10,1% superior a 2020. Se excluirmos as cargas que entraram para o segmento nos últimos 12 meses, o avanço seria de 5,2%.

Já o Ambiente de Contratação Regulada (ACR), no qual estão os comércios menores, as pequenas e médias empresas e os consumidores residenciais, a demanda se manteve estável. Se desconsiderássemos o efeito da migração de cargas no último ano, haveria alta de 2,3% na comparação com 2020.

Geração Distribuída

A CCEE também deu início a estudos sobre o impacto da Geração Distribuída para o consumo de energia no mercado regulado e constatou que, em agosto, o segmento teria registrado uma alta de 1% caso não houvesse a instalação de sistemas de micro e mini produção solar fotovoltaica nas residências e pequenos comércios do país. Em relação a 2019, o aumento seria de 0,9% nessas mesmas condições.