Insumos eólicos ampliam presença no Complexo do Pecém

img1
No primeiro semestre do ano, o Porto do Pecém registrou o desembarque de cinco navios com materiais eólicos

O Complexo do Pecém desembarcou nos últimos seis meses cinco navios com materiais eólicos. A carga foi proveniente da China e seguiu para parques eólicos no Piauí e no Ceará. 

A movimentação desembarcou pás eólicas, geradores, nacelles, transformadores, hubs, torres, entre outros. Para o gerente comercial da Tecer Terminais, empresa que integra o braço operacional do Pecém, Carlos Alberto Alves, a movimentação é um exemplo de diversidade e capacidade técnica do Complexo Portuário no manuseio de cargas eólicas nos sentidos de importação e exportação.

Terminal estratégico

 "O Porto do Pecém, por ser um hub de cargas eólicas e ter posição geográfica estratégica, é um elo na cadeia logística do transporte marítimo, viabilizando as soluções em operações portuárias para os maiores fabricantes de produtos eólicos do mundo e isso alavanca o desenvolvimento da economia do país", completa.